Translate this Page
Pesquisa
Qual a sua afiliação religiosa?
Católico
Evangélico
Adventista
Fundamentalista
Outro
Ver Resultados

Rating: 3.1/5 (703 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...



Total de visitas: 346788
Ateísmo é Rejeição e não Afirmação!
Ateísmo é Rejeição e não Afirmação!

 

ATEÍSMO: QUESTÃO DE REJEIÇÃO, NÃO DE AFIRMAÇÃO!

 

“Disse o néscio no seu coração: Não há Deus. Têm-se corrompido, fazem-se abomináveis em suas obras, não há ninguém que faça o bem.” – Salmos 14.1 (ACF)

 

 

Famoso por suas correspondências, que são lidas e supervalorizadas até hoje, e por sua influência durante o Séc. XVIII o escritor francês François-Marie Arouet, vulgo Voltaire, vociferou seu ódio à religão cristã.

 

É interessante observar sobre Voltaire que:

 

- Ele havia estudado com jesuítas no colégio Louis-le-Grand em Paris e freqüentou a Societé du Temple, onde ferviam as idéias dos libertinos e dos livre-pensadores, que tomavam bastante tempo e esforço em supor e praticar sandices.

 

- Voltaire não se dizia ateu, mas sim deísta, alegando que “se DEUS não existia, deveria ser criado para controlar e refrear os maus instintos das massas do povo”, reconhecendo a necessidade de um CRIADOR mas se negando a recebê-lO como um DEUS pessoal.

 

Constante zombador dos valores morais cristãos relatasse que Voltaire foi assistido em seus últimos momentos por uma enfermeira contratada para lhes prestar assistência. Esta jovem, tendo observado seu desespero e horror diante da morte, havia prometido a si mesma e em alta voz que “jamais desejaria presenciar a morte de um outro descrente”!

 

Entre alguns conhecidos meus, que se afirmaram ateus, um grande amigo de juventude me confessou certa vez que “tinha certeza que seria mandado ao inferno e que, portanto, aproveitaria o máximo a vida e seus prazeres antes de ser enviado para lá”. Sabia que não conseguiria por si mesmo “conseguir o céu” e que seria impossível vencer seus pecados e ser merecedor de perdão. Suas obras, dizia ele, “seriam completamente inúteis de um DEUS que fosse perfeito”!

 

Em seu tom de zombaria, uma constante em sua vida, desprezou qualquer diálogo saudável a respeito da necessidade de reconhecer a existência de DEUS, valendo-se sempre de suas afetadas frases sarcásticas, maldosas, imorais e amorais, recusou constantemente e até o fim a idéia de um salvador pessoal. Cheguei a procurá-lo algumas vezes, após minha conversão, mas se recusou a receber-me. Morreu sozinho, devorado pela tuberculose, suscitada de uma teimosa insistência na prática de prazeres mundanos. Recusou-se receber um substituto e reconhecer o sacrifício de CRISTO no calvário como único meio de salvação!

 

Esse comportamento é típico entre os que estão sem DEUS no mundo. O ateísmo é uma religião onde o deus adorado é o próprio “EU” e a liturgia religiosa é traduzida na prática incontrolável da busca dos prazeres imediatos, carnais. Costumo dizer que não existem ateus, mas apenas adoradores de si mesmos, pois eles têm consciência de que há um DEUS Criador, mas simplesmente se recusam a aceitá-lO. Nos capítulos de Romanos 1 e de I Coríntios 1, o apóstolo Paulo inspirado por DEUS os descreve de forma nítida, bem como seus comportamentos desconexos, pecaminosos e insanos.

 

Se considerar ateu, não é uma questão de supostamente provar e demonstrar que não existe DEUS, mas de ignorar e terminantemente se recusar a dobrar-se diante de todas as evidências que demonstram a existência do Criador. São portanto inescusáveis, pois sabendo que DEUS existe se recusam a reverenciá-lO, sendo entregues aos sentimentos abomináveis que demonstram em suas vidas (novamente Romanos capítulo 1).

 

O ateísmo é, portanto, a religião do hedonismo posta na prática. De forma consciente e aberta, embora possa zombar e ridicularizar a fé cristã, os seguidores desta religião de prazeres se recusam a dobrar-se diante da existência de DEUS, simplesmente por que isso significaria rever todos os seus padrões de vida e de seus comportamentos abomináveis. Dizendo-se livres, são escravos dos próprios vícios!

 

O adorador de si mesmo se entrega então a todos os tipos de prazeres, do alcoolismo ao homossexualismo, pois conclui que não pode aceitar um DEUS que tenha nas mãos o destino do Universo, incluso cada ser humano que já passou pela face da terra.

 

E o ateísmo, embora seus seguidores posem de super-heróis da epistemologia, não passa do que a Bíblia chama de nescidade. A figura do tolo que se entrega aos prazeres, fugindo de verdades que o atormentam, negando-se buscar por verdadeira sabedoria.

 

Meu amigo morreu seguro de que o inferno era seu destino, mas não foi humilde o suficiente para reconhecer a oferta de amor de um DEUS cheio de misericórdia, pois se o fizesse ele “perderia” todos os seus mais preciosos valores: o álcool, o cigarro, o sexo. Recusou-se buscar a presença de DEUS em sua vida. Negou reconhecê-lO Soberano Criador, embora por todas as suas conclusões e observações ele soubesse que ELE existe. Partiu para a eternidade sem DEUS.

 

No inferno há muitos ateus, já convencidos de sua estupidez, mas não há mais tempo para eles. Receberam o que tanto almejaram, viver em um lugar onde há total ausência de DEUS. E onde não há a presença de DEUS, somente existe dor, sofrimento e ranger de dentes.

 

Amigo(a), não parta para a eternidade sem DEUS. Pois ELE tem dado salvação a muitos ateus (sem DEUS) neste mundo, salvando-os em CRISTO.

 

Aproxime-se de DEUS, contemplando o sangue derramado de CRISTO na Cruz do Calvário. Reconheça-se impotente em atender os padrões de DEUS e renda-se à oferta de perdão do Filho de DEUS crucificado pelos teus pecados, morto em teu lugar, para remir-te. Arrepende-te e o aceita como teu Único e Suficiente Salvador. Nada perderás nada em demonstrar tamanha humildade e submissão. O Senhor DEUS te concederá Vida Eterna na Sua Santa Presença.

 

DEUS te abençoe com conhecimento salvífico, é meu desejo sincero e oração. Amém.

 

“Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto.” – Ef. 2.12-13

 

Autor: Pr Miguel Ângelo L Maciel

Ago. 2012.

topo