Translate this Page
Pesquisa
Qual a sua afiliação religiosa?
Católico
Evangélico
Adventista
Fundamentalista
Outro
Ver Resultados

Rating: 3.1/5 (702 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...



Total de visitas: 345750
Filhos de DEUS: homens, anjos...?
Filhos de DEUS: homens, anjos...?

“Filhos de DEUS”: homens, anjos

...ou ambos [homens ímpios, sob possessão demoníaca]?

 

“Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.” – Gênesis 6.2 (ACF)

 

Alguns pontos a serem considerados:

 

1. A expressão “filhos de DEUS” é no NT [quase que] exclusividade usada para designar os anjos (ex.: Jó 1:6; 2.1; 38.7..entre outras).



2. Os judeus também identificam a expressão com reis humanos, ou como diz o comentário rabínico:


A palavra Elohim é singular quando se refere a DEUS, Criador de tudo.  [No plural tem sentido que] Significa “juízes” como em Ezequiel 21.30; “anjo” em Salmos 82.6; “ídolos” em Êxodo 20.3. Segundo Rashi, neste versículo significa “filhos de senhores e juízes”, porque o termo Elohim implica sempre em julgamento. Também as versões em aramaico de Onkelos e Ionatan ben Huziel traduzem Bene Haelihim como “filhos dos grandes”. [ênfase minha]

 


3. O comentarista Dr H. H. Halley, explicou: 

 

“Os ‘filhos’ de DEUS (6.2) pensa-se terem sido anjos ou anjos decaídos, a que talvez se refiram (ver 2. Ped. 2.4; Jd 6), ou pessoas de evidências das famílias setitas que se misturaram pelo casamento com os ímpios, descendentes de Caim. Tais casamento anormais, quaisquer que fossem encheram a terra de corrupção e violência.” [ênfase minha]

 

É interessante que o termo “tomarem para si” (Gen. 6.2) tem o sentido de casos de perversão sexual extrema, ou seja, é quando além de mulheres solteiras, também se tomavam à força mulheres casadas contra vontade delas. E isto é importante para nossa conclusão, logo mais.


Os reis pagãos eram chamados de “filhos dos vários deuses[ver Apêndice] e parecem ter construídos vários haréns pela força bruta e violência descomunal e sanguinária seguindo a idéia do filho de Caim, Lameque [Gên. 4.19, 23-24 – chamado “Cântico da perversidade”, uma ode em  zombaria contra DEUS].


Estes termos representam a definição de um culto pagão cananeu, que se inicia com a edificação da cidade de Caim (4.17) [Enoque quer dizer “Iniciado”].

Caim e seus filhos representam uma "iniciação", ou seja, se consagraram aos demônios e à revolta direta contra DEUS, reconhecido na expressão “sair diante da face do SENHOR” (4.16). Esta idéia renasce com força total com o culto sanguinário re-estabelecido por Ninrod e Semíramis em Babel, que é Babilônia a “mãe das prostituições e das abominações da terra” (Apoc. 17.5). Este filosofia da divindade humana, ainda continua viva e atuante [na Evolução, na Psicologia, no Cristianismo Místico dos Neopentecostais]  e se re-erguerá em sua plenitude sob a regência do Anticristo, apoiado pelo Falso Profeta (Apoc. 13), na religião mundial da Babilônia descrita em Apocalipse (Apoc. 17).

 

 

UMA CONCLUSÃO

 


A passagem [não podemos fugir a isso] põe forte ênfase em um contraste "angelical vs. humano", um sentido de composição, aglutinação. Em outras passagens do Novo Testamento há relacionamento com a seqüência de Gênesis, que identificam anjos caídos que possuíram homens perversos [Exemplos: II Ped.4-5; Judas 6 – dentro do contexto aqui tratado].


É importante notar que o texto de Mateus 22.30 não necessariamente nega a possibilidade de anjos serem capazes de procriação, pois somente afirma que eles não “se casam”. Mas devemos reconhecer que, para que os anjos possam se “procriarem” fisicamente, eles teriam de se “materializar” [pois são espíritos e não possuem corpo físico como os homens] ou, o que é mais correto pensar, que eles devam possuir corpos de seres humanos masculinos. E aqui parece estar a chave de como devemos, portanto entender o texto, em sua correta aplicação. 


O culto pagão praticado entre os líderes [juízes, reis, soberanos da sociedade pré-diluviana] no tempo de Noé que descendiam de Caim, transpuseram em sua religião demoníaca os limites da convivência com a descendência dos filhos de Sete [a intenção de Satanás era claramente a de “misturar” e criar confusão – Babel - entre as descendências dos filhos de Caim e de Sete, impedindo assim o cumprimento de Gen. 3.15, a vinda do Messias].


As suas práticas violentas, sanguinárias e satânicas eram frutos de seus envolvimentos religiosos com os demônios e este comportamento demoníaco e animalesco chegou ao ápice do envolvimento pagão com extremada POSSESSÃO DEMONÍACA num nível jamais ocorrido! E com este grupo de anjos caídos em possessão de homens perversos gerou-se uma raça tão degenerada que DEUS teve de aplicar juízo sobre toda a terra de maneira que, se assim não fosse, não haveria sobreviventes e os planos de Satanás para frustrar a vinda do Messias (Gen. 3.15) teriam triunfado. Foi a tentativa de Lúcifer de impedir a vinda do Messias a razão para este terrível acontecimento.


Estes anjos caídos encontram-se presos no abismo (2 Ped. 2.4; Judas 6) e serão soltos (Apoc. 9.1-21) no período da GRANDE TRIBULAÇÃO! [Obs.: É importante enfatizar que há vários indícios que indicam e tornam possível essa interpretação, embora não se possa ter absoluta certeza de que os "gafanhotos" soltos do abismo sejam de fato os anjos do abismo que se econtram presos]


Então, a violência e a depravação humana alcançarão os níveis tão terríveis [muito piores e mais intensos] como o foi nos dias de Noé, dias quais nunca houve, com o Senhor Jesus Cristo afirmou (Mateus 24.21, Mateus 24.37, Lucas 17.26 e Apocalipse 9.1-21). Que dias terríveis! 


Serão dias tão terríveis que o próprio Satanás [Lúcifer - הֵילֵל , Heylel, "portador de luz" em Isa 14.12, traduzido erronemanete por "estrela da manhã" nas versões baseadas no Texto Crítico - na King James aparece "How art thou fallen from heaven, O Lucifer, son of the morning! how art thou cut down to the ground, which didst weaken the nations!" - a Serpente, o Diabo!], ele mesmo realizará a possessão sobre um homem de carne e osso, o Anticristo (II Tess 2.9).


Portanto, como devemos crer que toda a Escritura Sagrada nos aponta para preciosas lições espirituais que nos atingem em nossos dias [um fato que se estendeu em toda a história da humanidade], como devemos nós nos comportamos e vivermos nestes últimos dias que antecedem estes terríveis e funestos anos, antes de sermos arrebatados pelo SENHOR?

 

 

 "E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. " - Mateus 24.37

 

 

"Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém serem santo trato, e piedade, Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?" - II Pedro 3.11-12

 

 

 

 

APÊNDICE

 


Textos antigos que descrevem as lendas mitológicas [Ex.: Eneida de Virgílio,  Odisséia de Homero, Os Lusíadas de Camões, etc.] atestam a contínua presença da ideologia religiosa pagã dos reinados “divinos” babilônicos.


Como exemplo prático temos que o mito de Shangri-lá e da Raça Ariana, mesclado ao Darwinismo [Evolução], deu origem ao Nazismo.


O austríaco Adolf Hitler [Recomendo a leitura do livro “Hitler – O quase Anticristo de Dave Hunt”. Ele foi perfeito exemplo em miniatura do que será o Anticristo] se apresentou como o Messias da Raça Ariana que veio para instaurar um Reich de paz que duraria Mil anos, estabelecendo assim um salto evolutivo para a humanidade [Eugenia].


Na síntese de Madame Blavatsky [tutora mística de Hitler que viveu no fim do século XIX], que permanece como a matriarca dos modernos ocultistas, urge a necessidade da humanidade retornar à condição de divindade que foi perdida pela mistura de raças, a contaminação do sangue.


Atualmente seus ensinos são traduzidos nos filmes dos super-heróis, transmitindo a idéia que permanece pregada contínua e ardentemente pela evolução. Se baseiam no mesmo conceito pagão da reencarnação e da busca da perfeição em linguagem pseudo científica.


Os heróis representam “raças superiores[uma revitalização do mito dos heróis greco-romanos] atualizando assim a imagem dos semideuses cananeus [também presente nos orixás da Umbanda, Quimbanda e Camdomblé]. Esses exemplos atuais são os heróis do tipo X-Men, Thor, Vingadores, Titãs, Mutantes e demais seres com super-poderes que revitalizam os deuses mitológicos, resgatando seus mitos e as religiões pagãs em roupagem moderna.


A filosofia da Eugenia também permanece ativa e presente em nossa sociedade pós-moderna, através das ações Governamentais Socialistas Nacionais como, por exemplo, no caso da Lei do Aborto de Anencéfalos [recentemente aprovada no Superior Tribunal Federal], onde seres humanos são considerados um peso morto para as famílias e para a sociedade, não tendo logo valor sua vida humana. O resultado lógico deste pensamento  típico do evolucionismo é o extermínio!


Esta mesma mentalidade e filosofia foram usadas e difundidas pelos nazistas [PARTIDO DOS TRABALHADORES Nacionais Socialistas Alemães], quando começaram suas experiências de extermínio em massa. Eles iniciaram o processo pelos deficientes físicos e mentais que constituíam um peso para a sociedade alemã da época. Eles foram proibidos de se casarem e de terem filhos. Foram esterilizadas mais de 50 mil pessoas, involuntariamente.


A pesquisadora Margaret Sanger, que planejou o “Controle de Paternidade”, foi reconhecidamente uma fanática da Eugenia e seu método visava o controle de nascimento de pessoas de classes inferiores, filhos de famílias pobres que representariam um peso desnecessário para a sociedade. Uma clara tentativa de se “melhorar a espécie humana”. Atualmente esta doutrina subsiste disfarçadamente no “Controle de Natalidade[Os processos anticonceptivos - como a pílula, o preservativo, etc - foram desenvolvidos para permitir a continuidade das práticas de fornicação, adultério e homossexualismo e nunca representaram uma real preocupação com a saúde da família, ou da mulher, como eles insistem afirmar. A solução real e definitiva para as doenças veneras, a AIDS e os problemas sociais causados pelo comportamento animalesco da sociedade pós-moderna é, sempre foi, unica e exclusivamente atender aos apelos Bíblicos de abistinência sexual pré-marital, fidelidade conjugal dentro do casamento e eliminação completa da prática abominável da homossexualidade].


Este controle social amplamente difundido, divulgado e apoiado pela Igreja Romana e por nosso país de filosofia socialista, encontra seu fundamento na filosofia pagã implementada pelos nazistas. Ao se permitir o aborto [as discussões sempre permanecem no campo da hipocrisia], se estabelece como meta a saúde da mulher e da família [ou de uma suposta superpopulação da Terra, outra falácia! Se onde você mora está superpovoado, MUDE-SE para uma cidade manoe povoada!].


De fato, estas propagandas hipócritas e mentirosas são engodos da propaganda socialista. O real objetivo deste controle [como também o da Eutanásia de doentes e idosos] é libertar o Estado, o Governo e a Sociedade de seres humanos que são considerados descartáveis e indesejáveis, portanto supérfluos.

 

Como os selvagens, os fracos de corpo e mente são rapidamente eliminados. Nós homens civilizados, por outro lado, fazemos o nosso melhor para checar o processo de eliminação. Construímos asilos para os imbecis, os aleijados e os doentes. Assim os membros mais fracos das sociedades civilizadas propagam a sua espécie. Ninguém que tenha observado a criação de animais domésticos duvida que esta situação seja altamente prejudicial para a raça humana. Dificilmente alguém é tão ignorante que permite aos seus piores exemplares continuar se procriando.” Charles Darwin, The Descent of Man. 1871.

 

 

 

Mas, em nenhum lugar das Sagradas Escrituras se encontra qualquer referência a “Controle de Natalidade” ou a práticas de “Eutanásia”, pois DEUS é o doador da vida!

 

 

“Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.” – Gênesis 1.28

 

“E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra.” – Gênesis 9.1

 

“Mas vós frutificai e multiplicai-vos; povoai abundantemente a terra, e multiplicai-vos nela.” – Gênesis 9.7

 

“Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta.” – Salmos 127.3-5

 

“E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.” – João 9.2-3

 

 

 

Pr Miguel Maciel

Rev. 01. Janeiro 2013.

 

topo