Translate this Page
Pesquisa
Qual a sua afiliação religiosa?
Católico
Evangélico
Adventista
Fundamentalista
Outro
Ver Resultados

Rating: 3.1/5 (703 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...



Total de visitas: 346517
Prova da Igreja Adventista?
Prova da Igreja Adventista?

 

 Isaías 8.16 e 20:

 

Prova que a Igreja Adventista é a “Igreja Remanescente”?

 

 

 

- Ou...Seria Isaías 8.20 “Prova Irrefutável” de que os Salvos em CRISTO [do Novo Testamento, da Dispensação das Igrejas Locais] estariam obrigados à guarda do Sabath Judaico Semanal? -

 

 

 

(Este texto é baseado nos estudos exegéticos de John Gill e Dr H.H. Halley)

 

 

 

 

 

“Liga o testemunho, sela a lei entre os meus discípulos.“ – Isaías 8.16

 

 

 

“À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles.” – Isaias 8.20

 

 

 

 

 

0. Introdução

 

 

 

Os sabatistas gostam de usar estes textos (Isaías 8.16 e 20) para “provar” a guarda do sabath hebdomadário judaico e aplicá-lo como obrigatório aos gentios, salvos em nossa atual dispensação (das igrejas locais).

 

 

 

Além disso, o texto serve de embasamento dos sabatistas para a proclamação da Sra. White como a única e verdadeira profetiza dos últimos dias e da própria Igreja Adventista do Sétimos Dia como a “Igreja Remanescente”, título que concorre com a Igreja Católica Romana, com as Testemunhas de Jeová, com a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias – aliás, de quem a Sra. White plagiou enormidade de “revelações” (ou seriam aberrações), copiando de Joseph Smith algumas pérolas, como a de que existem outros planetas habitados no universo além do Planeta Terra!

 

 

 

O que falta às seitas, como neste caso ocorre no sabatismo, é que as mesmas odeiam EXEGESE e HERMENÊUTICA. Portanto insistem em aplicar a si mesmos textos fora de contextos. Além disso, amam espiritualizar algumas passagens extirpando o valor histórico, cultural, dispensacionalista das mesmas.

 

 

 

Isso eles fazem por estarem atrelados à teologia distorcida de seus fundadores. Vamos então verificar o contexto, trazendo a lume a correta interpretação dos mesmos? Esse será nosso objetivo no presente estudo.

 

 

 

1. Seguindo o Contexto do Versículo

 


 

Primeiro: os versículos não estão se referindo à guarda do sabath judaico semanal (ou aos sabatistas como “povo remanescente”), mas se referem em como identificar se as mensagens proferidas nos tempos de Isaías poderiam ser consideradas provenientes de DEUS ou não. Evidentemente que a aplicação trará lições preciosas para nós, como veremos mais adiante.

 

 

 

Dr H. H. Halley assim nos explica:

 

 

 

“No capítulo 8 de seu livro, em conexão com a invasão siro-israelita de Judá, são mencionados três meninos:

 

- Um na família de Davi, que é "Emanuel" – ver 7.13-14;

 

- Dois na família de Isaías: "Saar-Jasube" -  7.3, "Maer-Salal-Has-Baz", 8;.1-4.

 


."Saar-Jasube" significa "um resto volverá". Isaías dando com fato consumado o cativeiro babilônico, cem anos antes de acontecer, tem visão de um remanescente libertado, e dessa idéia tira o nome para seu filho. Esse remanescente e seu glorioso futuro fornecem o tema principal do livro de Isaías.

 


. "Maer-Salal-Has-Baz" quer dizer "rápido-despojo-presa-segura", isto é, a Síria e Israel serão depressa despojados. Assim, dando ao filho um nome que expressava a idéia de rápido livramento, Isaías com isso reforçou o que já havia predito em 7.4, 7, 16. E prontamente sucedeu como ele predissera. Os assírios vitoriosos deram com ímpeto contra Judá, v. 8 e só foram contidos pela intervenção direta de DEUS (37.36).

 


Assim, os nomes dos filhos de Isaías encerravam as idéias de sua pregação diária: Livramento presente, cativeiro vindouro, glória futura. A aflição e a tristeza do cativeiro é descrita dos vv. 9 ao 22.
Isaías recebe ordem de DEUS de escrever sua profecia e guardá-la para referência no dia de seu cumprimento, v. 16.”

 

 

 

Portanto, as aplicações diretas dos versículos se referem a como o povo poderia identificar um profeta de DEUS, no tempo em que Isaías a escreveu, pois se proliferavam falsos profetas. O povo se deixava levar por qualquer revelação, incluindo a busca pelos médiuns espíritas e a abominável consulta aos mortos. Recebiam revelações, mas elas não vinham de DEUS, nem continham Sua aprovação:

 

 

 

“Quando, pois, vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram: Porventura não consultará o povo a seu Deus? A favor dos vivos consultar-se-á aos mortos?” – vv.19

 

 

 

O padrão para o povo é estabelecido para que Isaías seja reconhecido como profeta, dentre os profetas verdadeiros:

 

 

 

“À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles.” – v. 20

 

 

 

O texto nada tem a ver com uma suposta profecia a respeito do surgimento da Sra. White ou da seita dos sabatistas!

 

 

 

Note que esse é UM dos padrões. Havia outros, por exemplo: Se um profeta tivesse apenas uma (somente uma) profecia não cumprida, ele (ou ela) não poderia ser considerado(a) profeta de DEUS:

 

 

 

“Quando o profeta falar em nome do SENHOR, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que o SENHOR não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele.” – Deut 18.22

 

 

A Sra. White tem várias profecias não cumpridas!

 


[Para maiores detalhes ler: http://www.cacp.org.br/ellen-gould-white-a-profetisa-que-falhou/]

 

 

 

A aplicação secundária é profética sim, falando de um tempo futuro, se relacionando com o Messias que viria. [Está entre os capítulos 7 e 9].

 

 

 

No entanto, refere-se ao cristianismo bíblico e jamais a uma vertente sectária [A deturpação das doutrinas cristãs – como no caso a sabadolatria, como pretendem os sabatistas].

 

 

 

Senão, vejamos os versículos em seu contexto relacionado ao profeta, com as aplicações e lições aos salvos futuros [após a vinda do Messias, sua morte e Ressurreição], atravessando o tempo e nos atingindo a nós, no tempo presente.

 

 

 

2. Seguindo o Contexto Histórico

 

 

 

 

 

“Liga o testemunho, sela a lei entre os meus discípulos.“ – Isaías 8.16

 

 

 

a. “Liga o testemunho...”

 

 

 

O Senhor agora volta seu discurso ao profeta, visando incentivá-lo, enquanto ele tem de lutar contra os apóstatas e os rebeldes, para cumprir o seu ofício e tarefa com ousadia e perseverança.

 

 

 

Isto foi extremamente necessário, pois Isaías havia se encontrado com pessoas de grande obstinação, de modo que se ele tivesse olhado apenas para sua condição atual, isto é, para a incredulidade do povo, e seus esforços infrutíferos e sem sucesso, ele seria levado à conclusão da inutilidade total de seus eforços.

 

 

 

Por conta disso, o Senhor DEUS determinou confirmar e selar a sua vocação, não só para o bem do profeta e do povo naquela época, mas para o bem de todos os que devem obedecer à Sua doutrina.

 

 

 

E se poucas pessoas, na época de Isaías, acreditavam que as palavras do Profeta vinham de DEUS, o fato de que o Senhor concede testemunho de que Sua doutrina foi selada entre eles [os poucos que creram] representa uma mensagem de ânimo ao profeta, e que, portanto, Isaías não deveria desistir de seu ofício de ensinar, nem deveria se deixar seduzir ou deixar de produzir a obediência ativa da fé, pois o DEUS Soberano continuava no controle de todas as coisas.

 

 

 

b. “ ...Sela a lei...”

 

 

 

Ele compara a doutrina da Sua Palavra com uma “Carta Lacrada” [como os reis faziam], ou Selada!

 

 

 

De fato a Palavra de DEUS, é assim percebida e tratada por muitas pessoas, pois a Revelação Profética se encerrou com o Apocalipse! (ver Apocalipse 22.18-19)

 

 

 

Ainda hoje é lida e entendida por poucos, ou seja, somente por aqueles a quem ela foi enviada e, por quem é tratada, como Única Regra de Fé e Prática.

 

 

 

Somente os salvos, regenerados em CRISTO, entendem as Sagradas Escrituras. Para que alguém a entenda, é necessário primeiramente ser salvo, ser vivificado dentre os mortos, nascer de novo.

 

 

 

È necessário que o próprio DEUS, ao pecador perdido lhe abra os olhos, regenere, ressuscite dentre os mortos!. Assim, a palavra de Deus é recebida por poucos, ou seja, pelos eleitos, embora se estenda a todos indiscriminadamente num contexto mais amplo.

 

 

 

A palavra é, portanto, selada para aqueles que não têm quaisquer vantagens espirituais com isso, e é selada de tal maneira que o Senhor apenas a descerra e abre-a para Seu próprio povo por meio do Espírito Santo.

 

 

 

O verbo selar deriva dos verbo צור (tzor) de נצר, (natzar) e pode-se traduzi-los por  “manter”.

 

 

 

O costume nos tempos antigos era, em primeiro lugar, amarrar um fio em torno de uma carta, e em seguida, selá-la, matendo-a intacta. Com o selo mantido, não se podia retirar-lhe palavras e nem acrescentá-las!

 

 

 

Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso.” – Provérbios 30.6

 

 

 

Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.” – Apocalipse 22.18-19

 

 

 

O próprio texto é, portanto, uma condenação às alegações dos sabatistas de que em 1843 em diante foi dada profecia complementar à Palavra de DEUS pela Sra White, como uma “luz menor” que não somente interage com a Bíblia mas que está em pé de igualdade de Inspiração com a Palavra de DEUS. Assim tambem condena todas as demais seitas pentecostais, como os sabatistas, que pretendem esatabelecer-se como profetas pós era apóstolica (preimeiro século) na atual dispensação das igrejas locais.

 

 

 

c. “...Entre os meus discípulos”

 

 

 

Tiramos desta frase uma doutrina muito útil, ou seja, que os professores e ministros da Palavra devem constantemente perseverar no cumprimento de seu ofício, embora possa parecer que toda a revolta dos homens prevalecerá (aos nosso olhos humanos, frágeis e pecadores), e não tem nenhuma evidência sólida e real de qualquer coisa diante deles senão apenas obstinação e rebelião.

 

 

 

Isso porque o Senhor vai reservar para si alguns discípulos, a quem sua carta será dirigida, lida com proveito, apesar de permanecer fechada, selada, lacrada para os demais (perdidos, ímpios, legalistas, incredulos, idólatras, sabatistas, sectários, etc...).

 

 

 

O profeta Isaías, depois emprega a mesma metáfora, quando ele diz que a Palavra é como um “Livro Fechado”, (Is 29:11;), embora nesta passagem ele só mencione os homens maus, enquanto que naquela ele menciona os discípulos, a quem a doutrina da Palavra é revelada, real, e vantajosa para a vida eterna.

 


Seria então  dever do profeta ignorar as pessoas, retirar-se e fechar-se com os discípulos, entre os quais alguns dos bons efeitos da revelação foram produzido?

 

 

 

Não! Não foi esse o sentido dado ao profeta Isaías, pois era a vontade do Senhor que Isaías deveria se fazer presente em seu ministério públicamente, proclamando e revelando a Sua vontade a todos! Da mesma forma que nós, os salvos, a igreja local, também somos conclamados a proclamar, pregar, ensinar.

 

 

 

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” – Mc 16.15

 

 

 

Mas enquanto o profeta Isías falava aos surdos, cegos, mortos em delitos e pecados, podendo ser desencorajado por não ver nenhuma evidência real do fruto do seu trabalho, o Senhor determinou animá-lo e incentivá-lo a seguir em frente, mesmo quando a situaçao estavisse em uma condição desesperadora!

 

 

 

E, matendo-o satisfeito com os seus poucos discípulos, embora seu número fosse desprezível, torna-lo-ia cada dia mais e mais fiel, ousado e corajoso.

 

 

 

 “À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles.” – Isaias 8.20

 

 

 

a. “À lei e ao testemunho!...”

 

 

 

De fato, há várias maneiras de explicar essa passagem. Alguns pensam que esta é uma forma de juramento, como se os falsos profetas estivessem jurando pela mesma lei da qual eram apóstatas, e assim atraindo pessoas para uma apostasia similar pela sua hipocrisia.

 

 

 

O profeta Isaías dirige nossa atenção para a lei e para o testemunho, que contém a declaração da vontade de Deus para nós.

 

 

 

Em suma, devemos tomar a palavra testemunho como descrevendo uma qualidade, a fim de informar-nos das vantagens que resultam da lei, ou seja, que Deus se revela a nós na lei, e declara o que é que em nossa relação com ELE, ELE mesmo determina estabelecer do que é exigido de nós.

 

 

 

E isso tem um sentido, não como exigência de cumprimento para nossa salvação, ou para ganharmos nossa salvação, mas para que conheçamos nosso pecado (natureza e obras) e para que ELE seja conhecido como Perfeito e Santo.

 

 

 

A lei não nos pode salvar (por sua obediência), mas sua serventia é a de nos mostrar quão pecadores e perdidos nos encontramos enquanto permanecermos sem CRISTO! Em sua epístola aos Romanos, o Apóstolo Paulo explica isso, muitas vezes e de muitas formas, sempre apontando na mesma direção:

 

 

 

  • A lei mostra o nosso pecado:

 

 

 

Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.” – Romanos 3.20

 

 

 

“Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás.” – Romanos 7.7

 

 

 

  • A lei opera a ira:

 

 

 

“Porque a lei opera a ira. Porque onde não há lei também não há transgressão.” – Romanos 4.15

 

 

 

  • A lei faz abundar a ofensa (pecado):

 

 

 

“Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça;” – Romanos 5.20

 

 

 

  • A lei faz aflorar em nós as paixóes dos pecados:

 

 

 

Porque, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados, que são pela lei, operavam em nossos membros para darem fruto para a morte.” – Romanos 7.5

 

 

 

  • A lei nos retinha (escravidão) para a morte:

 

 

 

“Mas agora temos sido libertados da lei, tendo morrido para aquilo em que estávamos retidos; para que sirvamos em novidade de espírito, e não na velhice da letra.” – Romanos 7.6

 

 

 

  • A lei revive o pecado e nos mata:

 

 

 

“E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri.” – Romanos 7.9

 

 

 

Com tudo isso, o Evangelho Bíblico começa com a má notícia de nossa imperfeição e termina com a exigência e a realidade de um Salvador!

 

 

 

Os falso evangelhos da pós-modernidade excluem os aspectos negativos, ou os distorcem, implicando na ausência da Doutrina da Deprevação humana, a fim de que o próprio esforço humano determine sua própria salvação e não na Redenção que foi provida por DEUS no Calvário, através de Seu Filho.

 


É, portanto, um elogio muito elevado da lei feita pelo profeta, que é um aio (Gálatas 3.24-25) para nos apresentar a Doutrina da Salvação pela Graça (e servindo como regra de uma vida boa e feliz). Desta forma a passagem também fala do Messias, de Cristo Jesus, DEUS feito carne.

 

 

 

Os judeus tinham (e ainda têm) Moisés e os profetas, mas não os ouviram, (Lu 16:29). Jesus Cristo é o estabelecimento definitivo das promessas de DEUS feitas no Antigo Testamento. O Senhor Jesus Cristo realizou as promessas de DEUS. (Mt 5.17)

 


John Gill, nos diz:

 

“É interessante que em Lucas 16  Abraão é apresentado como o grande orador, permanecendo um “oráculo” permanente proferido pela boca do próprio DEUS.

 

 

 

Estamos, portanto, intimados a ouvir a lei e os profetas, longe dos quais estaríamos impedidos de reconhecer ao Senhor Jesus Cristo como o cumprimento da promessa de DEUS de resgatar o pecador perdido (João 3.16, 26).

 

 

 

Se a lei e os profetas não tivessem sido suficientes para preparar o caminho para a manifestação da Glória de DEUS, estabeleceríamos uma confissão de apostasia terrível e diabólica.”

 

 

 

Logo, o versículo é contrário às próprias afirmações dos profetas  surgidos após a era apóstolica, antes e depois do Século XVIII, mesmo os modernos e pós-modernos, que teimam em acrescentar reveleçãoes adicionais não encontradas nem no Velho e nem no Novo Testramento, tornando-se culpados de um crime que o versículo condena. (Novamente, Apoc. 22.18-19).

 

 

 

A revelação de DEUS está completa e fechada, selada em definitivo! Tudo o que precisávemaos ter para reconhecermos a Jesus Cristo como o Messias de DEUS está registrado para nós em Sua Palavra e, de certa forma, também registrado para toda a humanidade!

 

 
Assim ficamos sabendo que tudo o que é adicionado à Palavra de DEUS deve ser condenado e rejeitado. É a vontade do Senhor que devamos depender inteiramente de Sua Palavra, e que o nosso conhecimento deve ser confinado dentro de limites estabelecidos pelo próprio DEUS.

 

 

 

E, portanto, todos os que “emprestarm” seus ouvidos (II Timo. 4.3) para os profetas extra-bíblicos (apóstolos modernos, pastoras, mensageiros dos ultimos dias, fundadores das seitas, papas, tradição, espíritos superiores “desencarnados”..etc), estão à parte das Sagradas Escirutras (adicionando, removendo, acrenscentando, distrocendo), são culpados e condenados por agirem em discordância da Vontade de DEUS, sendo portanto rebeldes, desobedientes, incrédulos e heréticos.

 

 

 

Não se pode conceder liberdade onde DEUS proibiu! E neste caso, as concessões e permissões que os profetas de plantão se dão a si mesmos não vieram de DEUS, jamais!

 

 

 

Com essta atitude insultam a DEUS com a teimosia de CAIM (oferecendo a DEUS o que ELE não pediu), a avareza de BALAÃO (desejando que DEUS mude de opinião, para obtenção de lucro e benefício financeiro próprio) e com a rebeldia de CORÉ (desejando um ministério que não lhes pertence).

 

 

 

Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré.” – Judas 1.11

 

 

 

Além disso, acusam DEUS de não ter sido sincero e de cruel parcialidade em não nos ter dado revelações suficientes, já que afirmam que precisamos de mais revelações (como ocorre nos caso do catolicismo romano, do pentecostalismo, e de todas as seitas pentecostais derivadas deste mesma falsa idéia, incluindo testemunhas de jeová, mórmons, sabatistas, ciência cristã...etc).

 

 

 

Tudo o que é introduzido à Revelação de DEUS por homens fundamentados em sua própria autoridade não será nada mais do que uma corrupção da Palavra, e conseqüentemente, se queremos obedecer a Deus, devemos rejeitar todos estes “instrutores adicionais”.

 

 

 

DEUS também nos adverte que, o conhecimento da lei do Senhor, nos protege contra as superstições e os modos perversos de culto e adoração, pois, como Paulo chama a palavra de Deus de espada do Espírito, assim, pela Palavra, Satanás e todos os seus artifícios são postos em fuga e derrocada.

 

 

 

No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.” – Efésios 6.10-11

 

 

 

Quem não conhece as Sagradas Escrituras é presa fácil para os lobos devoradores (profetas, apóstolos modernos, pastoras, curandeiros de plantão, etc...).

 

 

 

Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.” – Gálatas 1.8 - 9

 

 

 

Veja bem, isso inclui toda a extensa gama de perversões dos sectários modernos e pós-modernos: Anjo Escrivão (sabatistmo), Morôni (mórmons), Maria e o Papas (romanistas), Espíritos Superiores (Kardecismo, Umbanda, Quimbanda e Candomblé), Apóstolos/Pai-Póstolos/Patriarcas/Pastoras/Milagreiros da Pós-modernidade...etc..muitos etcs (Pentecostais, Neo-Pentecostais, carimáticos, Renovados e etc....de novo muitos etcs).

 

 

 

Incluiria aqui, nesta lista, os lideres de Ligas, Associações, Convenções que posam como autoridades últimas, acima da Palavra de DEUS, em sua ânsia numérica e em sua cegueira denominacional.

 

 

 

Devemos, portanto, nos refugiarmos em DEUS sempre que formos atacado por estes inimigos e servos do diabo e de suas hostes malignas, pois estando armados com a Palavra uma vez revelada, podemos lutar bravamente, e finalmente colocá-los todos em fuga!

 

 

 

Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.”-  Judas 3

 


Novamente John Gill assim explica:

 

O Profeta, portanto, impõe-nos a atribuir à Palavra autoridade tão superior, que vamos então nos arriscar corajosamente a desprezar o mundo inteiro (e todas as suas nova e atuais revelações), se a Palavra estiver em oposição a eles, pois se até os anjos fizessem isso, temos autoridade de condená-los também pela autoridade dada pela Palavra.” ( novamente Ga 1:8-9).

 

 

 

3. Conclusão e apelo

 


Amados irmãos, com quanto maior e mais intensa ousadia, portanto, devemos condenar os homens que se puseram em oposição a Deus? O modo de expressão é enfático, se eles não falarem segundo esta Palavra DEUS  estabelece sobre eles uma acusação de cegueira e também contra cada homem que não se submete à Sua revelação. Irmãos amados, jamais devemos entrar e enveredar por este caminha, adotar este sentimento perverso, sermos sábios além da lei, da completa revelação de Deus, com o risco de sermos culpados do mesmo pecado!

 

 

 

E é por rejeitar estas verdades, que o mundo dito “evangélico” abandona cada vez mais a Palavra de DEUS e se dispõe às novas e às mais absurdas, loucas e contraditórias “revelações”.

 

 

 

Seja por tradição, por amizade ou simplesmente por não desejarmos enfrentar dificuldades somos alertados de que noissa posição deve ser de indefectível fidelidade. DEUS coloca todos os homens em uma encruzilhada: conceder-Lhe total e suficente confiança ou sermos desconfiados de que Ele não nos disse tuto o que era necessário! Devemos, portanto, ser conduzidos à decisão de proclamarmos com toda sinceridade eintegridade de coração:

 

 

 

Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.” – Atos 5.19

 


E que possamos afirmar como Paulo:

 


“Somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos.” – I Cor 4.13

 

 

 

O tempo urge! O povo de DEUS não tem mais tempo a perder! Todas as engrenagens satânicas se encaminham para o travamento final! A máquina do pecado humano revolta-se cada dia mais contra a pureza da Palavra de DEUS! As profecias cumprem-se diante de nossos olhos! Nós os que vemos, devemos pregar e crer que DEUS mesmo levantará os mortos, acordará os que dormem, abrirá os olhos dos cegos. Avante! Proclamemos com ardor e fervor as Verdade Eternas da Palavra de DEUS, sem jamais titubear!

 

 

 

Mas atentemos em como seria absurdo tentarmos, por nosso próprio esforço e méritos,  explicar a um cego de nascença que o céu é azul buscando reponder-lhe a eloquente pergunte: O que é o Azul? Me explica o Azul?

 

 

 

Seria uma completa loucura tentar descrever o azul do céu a um cego de nascença que nunca viu nenhuma cor! Seria necessário primeiro reestabelecer-lhe a visão! Seria necessário um milagre! Então ele ouviria nossas palavras sobre o azul do céu e o poderia contemplar com vivaciade aquilo que explicamos a ele.

 

 

 

Meus amados e queridos irmãos, por isso uma pessoa não poderá entender a maravilhosa mensagem do Evangelho se antes não tiver seus olhos abertos, nascendo de novo, ressuscitando dentre os mortos!

 

 

 

De nada nos adianta buscar explicar aos sectários o “azul do céu”, pois eles estão cegos, mortos e perdidos! Devemos tratar de pregar a salvação pela Graça e orar esperançosos de que eles sejam resgatados do pecado e da perdição eterna, simplesmente! Não no atentemos aos resultados, pois eles virão de DEUS. Por isso a Bìblia nos adverte:

 

 

 

Ao homem herege, depois de uma e outra admoestaçao, evita-o, Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado.” – Tito 3.10-11

 

 

 

Não discuta sobre o sabath judaico semanal com os sabatistas, pois o problema deles não é esse! O problema deles é que estão perdidos, sem certeza veraz de salvação! Vá, portanto, ao amãgo da questão com eles. E mesmo que sejam os seguidores de Maria, as Testemunhas de Jeová, os Mórmons, os Neo-Pentecostais que gritam suas exigências de DEUS, os seguidores da Jezabéis modernas e todos os outros devemos proclamar as Doutrinas da Salvação pela Graça de DEUS, com todas as letras!

 

 

 

É por conta disso que as falsa religiões impõe aos seus seguidores que se afastem da ùnica Regra de Fé e Prática, a Bíblia, a Palavra de DEUS.

 

 

 

Para eles, a Bíblia não é suficiente. Eles a rejeitam, acusando a todos os que tem sede e fome por ela, amando e desejando seguí-la, de “servos do diabo”, “membros da babilônia”, “enganados pelos demônios”., etc. Eu mesmo já ouvi varias dessas acusações dos sabatistas que me escrevem com furor e ódio infernal!

 

 

 

Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica. “ – Tiago 3.15

 

 

 

Na verdade, pela Palavra de DEUS, são eles mesmos que permanecem condenados, seguindo a satanás, dando ouvidos a doutrinas de demònios, estando perdidos e sem certeza de salvação, rejeitando que CRISTO como Suficiente e Único Salvador.

 

 

 

Assim, abominam as maravilhosas e eternas Verdades de DEUS e permanecem na escuridão das trevas de perdição. Oremos por eles, continuando pregando o Evangelho da Graça que permanece em conformida com a TOTAL, ÚNICA e PERFEITA revelação e DEUS ao homem, a Bíblia!

 

 

 

DEUS já havia prometido finalizá-la, encrreando, aniquilando, cessando os Dons Extraordinários (Línguas, profecias, revelações, ministério dos Apóstolos, etc. Já com relação às supostas “pastoras”, elas nunca existiram visto que nunca foram ordenadas por DEUS. Portanto, DEUS não terminaria com aquilo que ELE nem começou.)

 

 

 

O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.” – I Coríntios 13. 8 a 10 [“...o que é perfeito...”: Refere-se á “Algo”, não a “Alguém”. Refere-se ao Cânon não a CRISTO que já tinha vindo! Aponta para o encerramento da Bíblia, das Sagradas Escrituras, finalizadas em Apocalipse!]

 

 

 

DEUS te abançoe ricamente, prezados irmãos, no crescimento do conhecimento e da graça de CRISTO (II Pedro 3.18).

 

 

 

Quanto ao Seu povo, que porventura ainda permanece envolvido nas trevas das seitas, diz DEUS:

 

 

 

“E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.” – Apoclipse 18.4 [Se cumprirá no período da Tribulação, mas por certo não é um alerta já para hoje?]

 

 

 

Que DEUS te abençoe com conhecimento salvífico. É meu desejo e oração, amém.

 

 

 

 

 

 

 

 

Pr Miguel Ângelo, pastor Batista Fundamentalista.

(ex-adventista, salvo pela graça de DEUS – Ef 2.8-9)

Nov., 2012. Rev 00; 01.

topo